A Doença de Dupuytren se dá por meio de enrijecimento da fáscia da palma da mão, ou seja, um espessamento do tecido sob a pele da mão, que costuma afetar os 4º e 5º dedos (anelar e mínimo). Pode levar à contratura em flexão progressiva dos dígitos (um ou mais dedos se curvem de forma involuntária em direção à palma da mão).

Estudos revelam ser uma doença hereditária, autossômica dominante, contudo, existe alta incidência em pacientes epiléticos, alcoólatras, diabéticos e acamados por longo período. Os homens são mais afetados do que as mulheres e, normalmente, após os 40 anos. Mas também pode acometer crianças.

OS SINTOMAS, de forma geral, se dão inicialmente pela presença de um nódulo na palma da mão, próximo ao dedo anelar ou do dedo mínimo. O nódulo, que geralmente é indolor, pode ser confundido com um calo e, normalmente, não apresenta dor. Com o tempo, outros nódulos podem aparecer, levando a contração dos tendões dos dedos, flexionando-os em sentido à palma da mão.

O DIAGNÓSTICO é feito por um cirurgião de mão, por meio de análise clínica ou exames de imagem.

O TRATAMENTO pode ser conservador ou cirúrgico, dependendo da gravidade das lesões e do comprometimento da mobilidade do membro.

SEMPRE PROCURE O MÉDICO!

*Este é um conteúdo meramente informativo, sem nenhum cunho científico e nenhuma vertente de diagnóstico ou tratamento. As informações contidas aqui são coletadas de forma colaborativa por uma equipe especializada em conteúdo jornalístico e de comunicação social.